Chamada e Missão

Quer saber como ser um missionário para seus vizinhos e na sua  cidade?
Muita gente acha que tem uma chamada de Deus para a visão missionária. Mas a maioria quer fazer missão ao seu modo, ganhando um salário da igreja, viajando para o exterior, visitando povos longínquos. Poucos se dão conta de que a vida missionária é precedida da chamada divina, e que acontece no momento certo, e mais ainda, a maioria das  missões que Deus tem para nós está no meio dos nossos. Nosso povo, nosso país, nosso estado, nosso município, nossos vizinhos, nossa família. Observemos a chamada de Neemias, que estava cativo na Pérsia de Artaxerxes, é verdade, mas era copeiro do rei. Estava em um alto lugar, estava honrado, sem dificuldades de qualquer ordem, e poderia levar sua rotina assim pelo resto da vida.
Aqui fica a lição de que, muitas vezes, apesar de você estar gozando de boa vida, boa saúde e boa reputação, não quer dizer que você não esteja cativo de algo, e que, ao atender o chamado divino, você pode estar rompendo definitivamente as cadeias de satanás.
( Deus consola) Neemias1:1-3 – 1 Palavras de Neemias, filho de Hacalias. Ora, sucedeu no mês de Quisleu, no ano vigésimo, estando eu em Susã, a fortaleza, (2) que veio Hanâni, um de meus irmãos, com alguns de Judá; e perguntei-lhes pelos judeus que tinham escapado e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém. (3) Eles me responderam: Os restantes que ficaram do cativeiro, lá na província estão em grande aflição e opróbrio; também está derribado o muro de Jerusalém, e as suas portas queimadas a fogo.
O que fazer quando percebemos a dor do povo?
Neemias se sensibilizou: Neem 1:4 “Tendo eu ouvido estas palavras, sentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias;e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus”.

Mas não ficou chorando a vida inteira!
É incrível como vemos gente que chora; que se sensibiliza até consigo mesmo, em ato de autocomiseração. A gente prega e o homem chora, chora, chora e não para de chorar. Parece uma viúva nova que recém perdeu o marido, só reclama, só chora, só lamenta. O choro é importante para que sintamos a dor do outro, mas há um tempo para chorar, ( …porque há um tempo para todo propósito e para toda obra. Eclesiaste 3:17) e também há um tempo para estar em pé diante de Deus ( E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo. Ezequiel 2:1) , para que ele fale conosco e nos indique qual o melhor caminho para resolver a nossa dor e a dor do nosso irmão. É preciso que também paremos e escutemos a voz de Deus, a resposta de nossa oração, para que possamos entender qual seja a boa e agradável vontade do Senhor Nosso Deus.
Neemias intercedeu: Neem 1:4 e continuei a jejuar e orar perante o Deus do céus…

Mas não ficou orando a vida inteira!
            A palavra de Deus diz que a oração de um justo pode muito em seus efeitos, mas se tudo dependesse da oração, não precisaríamos do sacrifício da cruz, não precisaríamos de pregadores, de missionários, de pastores. Bastava então consagrarmos presbíteros em nossas igrejas e fazer culto de oração de domingo a domingo e tudo estaria resolvido. Não é bem assim, existem momentos em que você tem que levantar o cajado sobre as águas para o mar se abrir; tem que ferir a rocha para sair água; tem que tomar a capa de Elias para receber unção; tem que manejar a funda para derrubar o gigante!

Neemias tomou providencias: Neem 2:1-8:
            (1) “Sucedeu, pois, no Mês de Nisã, no ano vigésimos do rei Artaxerxes, quando o vinho estava posto diante dele, que eu apanhei o vinho e o dei ao rei. Ora, eu nunca estivera triste na sua presença”.( 2) “ E o rei me disse: Por que está triste o teu rosto, visto que não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração. Então temi sobremaneira. (3) “ e disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como não há de estar triste o meu rosto, estando na cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, e tendo sido consumidas as suas portas pelo fogo”?

Quando foi a ultima  vez que choramos por causa da dor do nosso irmão? 
Às vezes parece que somos realmente um povo separado do mundo, mas separado no sentido negativo da palavra. Ficamos encastelados entre as quatro paredes de nossas igrejas, na segurança dos altares, nos embriagando no vinho amargo da omissão, enquanto as ovelhas de cristo, aquelas que devíamos estar recolhendo para o aprisco, se perdem entre as os espinhos e pedregais, presas fáceis para o diabo e seus anjos.
É hora de romper cadeias, quebrar paradigmas, cruzar as fronteiras de nosso próprio bairro e levar a boa semente do evangelho aos nossos vizinhos, pois o sangue deles será cobrado de nós, os que fomos separados para evangelizar o mundo.
Precisamos nos condoer com a dor alheia, mas se conhecemos o antídoto, o remédio para esta dor, então vamos administrar a palavra de Deus em nome de Jesus Cristo, que o mais, ele se encarregará. Sua palavra não falhará jamais!
(4) “ Então o rei me perguntou: Que me pedes agora? Orei, pois, ao Deus do céu,”
(5) “ e disse ao rei: Se for do agrado do rei, e se teu servo tiver achado graça diante de ti, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique.”

Qual foi a ultima vez que nos oferecemos como voluntários para fazer a obra de Deus? 
(6)  “Então o rei, estando a rainha assentada junto a ele, me disse: Quanto durará a tua viagem, e quando voltarás? E aprouve ao rei enviar-me, apontando-lhe eu certo prazo.”( 7) “ Eu disse ainda ao rei: Se for do agrado do rei, dêem-se-me cartas para os governadores dalém do Rio, para que me permitam passar até que eu chegue a Judá;”( 8) “ como também uma carta para Asafe, guarda da floresta do rei, a fim de que me dê madeira para as vigas das portas do castelo que pertence à casa, e para o muro da cidade, e para a casa que eu houver de ocupar. E o rei mas deu, graças à mão benéfica do meu Deus sobre mim.”
Neemias era um copeiro do rei da Pérsia, era um cativo, mas nem por isso deixou de ouvir o clamor de seu povo. Apesar da segurança do castelo, ele sabia que a Cidade Santa precisava de um empreendedor, de alguém com sabedoria e espírito de liderança para fazer com que o povo se levantasse de sua letargia e tomasse uma iniciativa.
Neemias devolveu a auto-estima ao povo de Deus, mas não fez isso aleatoriamente. Ele Chorou, orou, intercedeu, planejou, delegou poderes e executou a missão que Deus colocara em seu coração. Para isso foi humilde o suficiente para reconhecer que sozinho não chegaria a lugar algum; foi humilde para reconhecer que precisava de ajuda, tanto do rei quanto do povo de Israel, apesar de sua aparente apatia.
Se você quer ser um missionário urbano, leia Neemias. Ali você descobrirá que humildade e iniciativa são ferramenta primordiais para derrubar as fortalezas espirituais da maldade que oprimem nossas cidades.
Jerusalém estava no chão, sem muros, sem portas, sem lei e sem ordem, servia de piada aos povos em volta. O povo estava depressivo e desacreditado. Neemias planejou, delegou responsabilidades e, em 52 dia os muros e a DIGNIDADE DE ISRAEL ESTAVAM RESTAURADOS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado